domingo, junho 07, 2009

Votemos!

Quer queira, quer não, há uma data de coisas que herdei dos meus pais.
Não estou a falar da miopia e da neura da fome - gentilmente cedidos pelo papá -, nem da mania que tenho sempre razão e do gosto por roupas estranhas - cortesia da mamã.
Falo-vos de valores.
Os meus pais sempre foram pessoas politicamente activas, militantes esclarecidos, com opiniões fundamentadas e extremamente interventivos.
Lembro-me de adormecer nos sofás do Largo do Rato enquanto ouvia ao longe as dicussões acessas das reuniões. Adorava andar nas caravanas, com o meu pai a buzinar pelas ruas de Lisboa enquanto eu tentava prender as bandeiras ao vidro do carro. Fiz muitos bigodes e óculos escuros na cara dos candidatos dos folhetos de campanha que andavam sempre soltos no porta bagagens.
Os meus pais, embora partilhassem a mesma cor política, nem sempre estavam de acordo, o que dava pano para mangas nas discussões lá em casa. Chegaram mesmo a escrever artigos nos jornais em que mandavam "bocas" um ao outro. Mas no final do dia, acabavam sempre por se deitar na mesma cama.
Não era nascida em 1974, mas todos os anos recebo uma sms do meu pai a festejar o 25 de Abril. Porque para eles "25 de Abril Sempre" não é só um chavão uma vez ao ano.
Por ironia do destino, ou então devido à lei da compensação, tanto eu como o meu irmão não somos militantes de qualquer partido, por isso as discussões acesas lá de casa só têm a nossa participação com frases do género "falem mais baixo" ou "dá para ter uma conversa normal à mesa como as outras famílias?".
No entanto nunca me passou pela cabeça não ir votar em dia de eleições. Mesmo hoje, neste cenário político podre em que vivemos, era incapaz de não exercer o meu direito e dever enquanto cidadã.
Não acredito em nenhuma das propostas apresentadas. Fui, porque quero mostrar a quem nos quer governar que estou interessada no futuro do meu país.
Assim, o meu voto, que é secreto, foi em branco. Só porque não se pode votar em preto.

2 comentários:

Anónimo disse...

Concordo ctigo. Votar é um direito que deve se exercido por todos.Tb o meu voto foi em branco pq n sabia mm em quem votar, m achei que, ainda assim, seria mais importante votar em branco do que aparecer nos números das abstenções, daqueles q, oficialmente, n se ralam. Tb me importo c o meu país,ainda q n saiba o que fazer c ele..

M disse...

Eu " assino por baixo" :)
Também fui votar de propósito em branco. Também acho que devia haver a opção preto. É mais fashion!