sexta-feira, maio 12, 2006

Sexo e a Cidade VS Cinderela*
Os jogos de sedução podem relevar-se autênticas armadilhas, e os mais perigosos são sempre aqueles que nós próprias construímos. Porque se é mau sermos enganadas, pior é quando nos enganamos a nós mesmas.
Colocamos num pedestal as Samanthas Jones desta vida - mesmo não conhecendo nenhuma - e num rasgo de audácia tentamos ter se não a mesma pedalada, pelo menos o mesmo espírito sexo-pelo-sexo-toma-lá-dá-cá. Convencemo-nos que somos capazes de separar as águas sem qualquer problema e lançamo-nos numa de predadoras implacáveis na busca do prazer sem compromisso.
E há homem que consiga resistir a uma situação deste género?
No entanto, separar o amor do sexo é uma coisa complicada para a maior parte das mulheres. E se o jogo resulta animadamente durante um tempo, depois a coisa começa a complicar-se. Quando damos por nós, passámos de Samanthas a Cindeleras e começa a fazer-nos falta um miminho depois do enrolanço, uma mensagem à noite no nosso telemóvel, alguma partilha de intimidade.
E pronto, está tudo lixado! De um homem feliz e contente por ter cama sem compromisso, passamos a ter um ser masculino completamente baralhado com as recentes e despropositadas exigências femininas. Ser esse que começa a tornar-se esquivo, vago, sentindo-se obrigado a mentir, acabando por desaparecer do mapa sem perceber porque raio é que as mulheres são tão complicadas.
O limite entre o sexo-pelo-sexo e uma relação que implique algo mais é muito ténue no que toca ao universo feminino, quase sempre pronto a abraçar o companheiro por inteiro, não se limitanto aos pontos erógenos. Daí ser tão fácil magoar as Samanthas com egos de Cinderela.
*Para a minha Cinderela favorita! :)

18 comentários:

apipocamaisdoce disse...

Se ias escrever um texto sobre mim ao menos pedias-me autorização, não era?? Loooolllloolll! Sim, claro que nós conseguimos ir para a cama com um homem só por sexo... merda, apaixonei-me! Porque raio não somos umas cabras insensíveis como eles????

Isolamentos disse...

...as pessoas só se apaixonam quando estão pre-dispostas a isso...não? :)

Mia disse...

Pipoca,
LOL! Não escrevi sobre ti, mas sobre nós todas - generalizando, claro!
Bom bom mesmo era conseguir jogar sempre na mesma frequência que o parceiro! Mas não sei se isso iria aborrecer o "jogo"!

Isolamentos,
As pessoas apaixonam-se por tantas razões. Às vezes nem nos apaixonamos pelas pessoas em si, mas pelo que idealizamos delas. E aí é que os cornos se espetam na parede! E doi! Ai se doi...!

Isolamentos disse...

...sim...mas ninguém se apaixona sem querer.... :) (às vezes doi muito...doi doi....)

Rosa disse...

Eu acho que uma coisa não exclui a outra. Que não temos que ser OU Samantha OU Cinderela. Eu cá tenho dias ;)

perola&granito disse...

:o)

kiss me disse...

Olha desculpa mas andaste a ler o meu diário?!?!? (aquele que guardo no cérebro claro!)...

Enfim, resta-nos esperar por encontrar o "príncipe" que nos quer mesmo como Cinderelas... e nós a eles!!!

Isolamentos: ninguém se apaixona sem querer?!?!??!?!?!?!??!?!?!??!?!

amarga disse...

Concordo ctg mia quando dizes que nao nos apaixonamos pelas pessoas mas por o que idealizamos delas..ate digo mais,o que idealizamos de uma pessoa que nao aquela em concreto.Às vezes é tudo muito abstracto e a verdade é mesmo como dizes,com o tempo, torna.se dificil separar "as àguas".Quando se dá conta ja nem a propria pessoa sabe o que quer.

Anónimo disse...

Ninguém se apaixona sem querer!!!!?????? O sr ou sra isolamentos só pode ter pouca experiência de vida....ai ai qualquer dia....zás e nem sequer dás por isso!

Ana

PS : Gostei muito dos textos do blogue.

Esplanando disse...

Acho que isso não tem mal nenhum! Querer sexo pelo sexo e depois acabar por querer algo mais... é muito natural e, de facto, acontece muito.

Isolamentos disse...

...eh pah...vocÊs não me batam mais.... :)

obviamente que não é tão linear como eu escrevi...merece uma explicação melhor, mais tarde...talvez. ainda assim, não se trata de experiência ou não, para mim é claro... :)

Rosebud disse...

Esta é sem dúvida uma das grandes questões da experiência feminina contemporânea: conseguimos ter apenas sexo pelo sexo, independentemente do tal do 'amor', tal como as nossas avós (?) tiveram a relação pela relação, tantas vezes independentemente do (mau) sexo? Talvez o grande erro seja persistirmos na possibilidade de compartimentarmos as nossas vivências e emoções. Isto é sexo, aquilo é paixão, não sei quantos é amor... Tudo muito arrumadinho em categorias standardizadas, como se a vida fosse um arquivo organizado e os sentimentos algo que podemos encaixar inequivocamente em pastas devidamente etiquetadas. Enfim, é um tema em relação ao qual tenho mais perguntas que respostas :)

**

puff-cor-de-laranja disse...

Mia, adorei o texto!
Importaste q o link par ao meu blog?

Mia disse...

270,
Claro que sim :)
Aliás, vou lá dar uma espreitadela ao teu cantinho agora!

puff-cor-de-laranja disse...

sim, vai la! vou dar uma arrumadela!!
espero q gostes... ;)

uh99 disse...

O meu primeiro pensamento é: Cada um faz a cama em que se deita...

Aisling disse...

O problema é que nem sempre as coisas são tão lineares assim... E falo por mim! Comecei 'algo' assim, ah e tal é só passar uns bons bocados... e quando dei por isso, já me tinha caido em cima, leia-se: apaixonei-me e só dei por isso bem mais tarde... Posso é considerar-me uma sortuda, porque depois de um mês de sofrimento, desentendimentos e afastamento, não me aconteceu só a mim! E já lá vai um ano e picos! ;)

P.S. Gostei bastante do blog!! ;)

uh99 disse...

Acredito... Afinal, até a Samantha encontrou alguém que a fez mudar de estilo...