sexta-feira, fevereiro 17, 2006

Drama Girl

Há quem diga que sou dramática, exagerada, desbocada e até parva. Concordando ou não com o que pensam da minha pessoa, a verdade é que há certas situações "extremas" pelas quais nunca passei e que teoricamente achava piada passar. Entre elas:

1- Ir a um restaurante todo XPTO, armar uma discussão de motivo irrelevante e, à frente de toda a gente, virar o copo de vinho tinto em cima da cabeça da pessoa que está a jantar comigo, de preferência um homem. Depois fazer um ar "humpf!" e sair triunfante do restaurante, sem pagar a conta!

2- Fugir no dia do casamento!
3- Ter aqueles telemóveis que abrem e fecham consoante a pessoa está a falar, para que quando discutisse com alguém o pudesse fechar, com a força de quem bate com uma porta, mostrando a minha raiva. O meu telemóvel actual não dá para isso... quer desligue a chamada a bem ou a mal, tenho sempre que carregar minuciosamente numa tecla ridícula, o que tira toda a intensidade dramática à situação.
4- Sair de um avião pelas escadas e cá em baixo ter uma multidão histérica à minha espera com flores e cartazes "We Love You Mia".
5- Fechar um Centro Comercial só para eu fazer compras!
6- Cantar maravilhosamente bem! - Esta é de facto a situação menos provável, e por isso, mas só por isso aceito este tipo de críticas à minha pessoa! :)

10 comentários:

apipocamaisdoce disse...

Mia, somos almas gémeas! Despejar um copo em cima de alguém é um dos meus grandes sonhos! E o do telemóvel...oh, meu Deus, o telemóvel! Passo a vida a falar disso, que os telemóveis com tampa sao os melhores para as discussoes! Por acaso tenho um... nao tenho é tido com quem discutir... :(

Mia disse...

Pipoca,
Dá Deus nozes a quem não tem dentes! Quando se tem um telemóvel assim, inventam-se discussões! :p

Isolamentos disse...

...vir aqui, arrancou-me muitos sorrisos e algumas recordações. :) obrigado. *

Lótus Azul disse...

A do telemóvel já fiz várias vezes... e no carro, depois de fechar a tampa violentamente gosto ainda de atirá-lo para o banco do pendura (porque sei que não se vai partir), depois agarro o volante com ambas as mãos e fixo o infinito como se a minha vida fosse um invejável filme (não sem dar uma espreitadela aos outros condutores a ver se repararam...) A minha fantasia não é com o copo, mas com bolos de aniversário ou casamentos..

Também gosto da ideia de abandonar o meu próprio carro no meio do trânsito, e com toda a gente a buzinar, seguir a pé com um ar absolutamente alienado...

Aqui entre nós, Mia.... não teremos visto filmes a mais?

Mia disse...

Isolamentos,
Aparece mais vezes :)

Lotus,
Com bolos também é muito bom! Mas eu adorava que me espetassem um bolo cheio de creme na minha cara! LOL

E sim....a verdade é que andamos a ver filmes a mais! :)

Rosa disse...

Rói-te de inveja: já fiz a 1, e a 3 faço quase todos os dias! :)
Quanto à 1, digo-te que a coisa tem muito mais efeito se lhe atirares o copo de vinho directamente à cara. Ah, e, já agora, que o motivo valha pena!! :)

Mia disse...

Rosa,
Muito bom! Muito bom mesmo! Há mulheres que passam da teoria à prática! :)

izzolda disse...

Hmm. Qualquer uma dessas hipóteses me agrada. Secalhar vemos mesmo filmes a mais :)

Mas não sou uma pessoa muito dada a dramas, confesso. Embora compreenda e aceite sem censurar muitos deles! Porque muitas coisas são feitas assim, por impulso e sem pensar muito nas consequências. Muitos dramas têm mesmo justificação plausível.

Luisa Seabra disse...

Olá.
Estou a gostar bastante do teu Blog, parabéns!
O meu telemóvel é desses com tampa, mas como não sou fã de falar ao telemóvel, muito menos sou fã de discutir...por isso ainda não tive essa oportunidade.
Cantar até canto bem, é o q dizem, ehehehe, de resto sou mais uma das drama girls...também vivo com o estigma de ser apontada como dramática, eheheheh.
Gosto dessa de despejar um copo pela cabeça de alguém, mas no meu imaginário ocorre muito mais aquela situação de estar a jantar num lugar "supé chique" com algum fulano, num ambiente romântico, e de repente o estupor ser incoveniente e eu dar-lhe uma valente chapada, atirar com o guardanapo para cima da mesa, levantar-me arrastando ruidosamente a cadeira e sair esvoaçante, com o restaurante inteiro primeiro a olhar para mim com ar assustado, depois olhar para o fulano com expressão de condenação (tipo abanar a cabeça enquanto emitem sons pela boca "tsc tsc").
É a coisa de ser dramática...uma imaginação bastante fértil.
Ainda não tive essa oportunidade.
Na verdade nunca dei nenhuma chapada a ninguém, embora já muita gente tenha merecido!!

Adicionei o teu blog ao meu, espero q não te importes, mas caso contrário avisa!

Fee disse...

Não sei se andas a ver muitos filmes, mas pelo menos têm piada as situações que gostarias de viver! valeram-me uma gragalhada bem grande:)
Gostei do humor do teu blog! E vou voltar;)!
beijinhos