sexta-feira, maio 11, 2007

Ó Sabrinaaaa, pensar que estivestes tão pertoooo!*

Já nem tenho palavras para descrever o Festival da Eurovisão, quanto mais as actuações de Portugal que, de ano para ano, têm vindo a refinar. 2007 então foi o ano mais refinado!
A Sabrina e a sua franja, a voz envergonhadinha e o sotaque inglês das frases finais da canção, as senhoras dos leques gigantes a compor a coreografia, a letra do Emanuel e a música pimbo-latino-festa-da-Achada-socas-nos-pés-e-cabelo-de-permanente-com-franja-esticada, o bailarino de rabo bamboleante e colado à calcinha de vinil branca.
É delicioso este meu Portugal! Simplesmente delicioso!
* De mostrar as cuecas...

11 comentários:

Tó do Samouco disse...

Um festival de horrores europeus...

http://samoucoaorubro.blogspot.com/

Inútil disse...

É o fruto de uma clássica família de emigrantes! Acho que o irmão fez uma grande campanha a apelar ao voto nela por parte das comunidades portuguesas no estrangeiro. Não valeu de muito. E ainda bem. Para fazer figuras tristes no estrangeiro, já bastam os nossos clubes e selecção de sub-21.

apipocamaisdoce disse...

O pior de tudo é que ela se chama Teresa. Mas acha que Sabrina é um nome artístico muito mais apelativo.

Mia disse...

tó do samouco,
Ele há noites deprimentes...

Inútil,
Se em vez da Sabrina fosse a Cristiana Ronalda (lol), a ajuda familar teria muito mais sucesso!

pipoca,
Teresa?? Ninguém se chama Teresa!
Ainda bem que mudou o nome!!!

robene disse...

Mas quem é que ainda vê a Eurovisão?Venham é os jogos sem fronteiras. Nesses ao menos ganhávamos sempre!

CEMREMOS disse...

Também viste? Foi de ir às lágrimas. Já nada é como dantes! Mas como é que ainda perdemos tempo com aquele concurso? E insiste, e insiste...

Nao Sei Que Digo disse...

Eu cá já não ligo muito ao Eurofestival da Canção, mas começa a ser revoltante o quão merdosos somos. Nunca vamos além do 44º ou, na melhor das hipóteses formuláveis, de um 37º lugar. Qualquer país com uma língua gutural, derivada das tribos das estepes geladas e com uma banda só de ferrinhos e pandeireta ou com um intérprete LGBT consegue fazer boa figura, mas nós nunca passamos da sola do sapato. Começa a ser uma questão de HONRA. Devíamos alinhar num movimento para levarmos ao Eurofestival alguém que nos pudesse levar á consagração do nacional conçonetismo e ao nosso próprio jubileu. Alguém que nos levasse a sonhar com um, sei lá, 19º lugar ou até um 16º. Alguém que fosse capaz de juntar um mar de gente em extâse no Marquês de Pombal a gritar "Portugal, Portugal". Bute nessa?

racker disse...

Logo quando vi que ela tinha ganho o Festival da Canção pensei: isto vai dar merd*!

E deu! Mas já nos começamos a habituar às excelentes classificações dos nossos representantes!

a lice disse...

Ui, nem palavras tenho para descrever mais uma particpação portuguesa do mais fino calibre...

Peg solo disse...

yuck! ainda bem que não vi! nunca ouvi falar sequer de uma sabrina. eu acho realmente q o cristiano ronaldo a cantar no duche ganhava essa coisa toda e no meio dos apelos ainda juntavam uma menina perdida aos premios como bonus!

Lunatic on the grass disse...

Contou-me uma senhora que muito estimo, a minha mãe, que no tempo dela ficavam uma semana inteira a ansiar a chegada do festival da canção. Perante tal revelação, só se me ocorreu uma palavra que também muito estimo: foda-se.
E nem é hábito asneirar ao pé da senhora, mas teve de ser.