sexta-feira, setembro 22, 2006

Como Utilizar a Fita Métrica
A velhinha questão de me mudar para a casa de Alcântara em Julho - promessas de empreiteiro.... - voltou de novo à ribalta, mas desta vez com uma nova data: 5 de Outubro!
Data bem mais específica, uma vez que de um mês inteiro, passei para um dia já marcado a vermelho no meu calendário do escritório.
A boa notícia é que não vou sozinha com as minhas gatas, uma vez que me vou fazer acompanhar do meu querido namorado que, coitado, sem saber como, acabou de cair na esparrela de viver a full time com três Princesas que tanto têm de encantador como de insuportável! Vidas!
Bom.
Estou portanto à espera do dito dia 5 de Outubro para mostrar ao mundo da construção civil a minha já antecipada e famosa neura-das-obras-atrasadas!
Neura essa que começou a dar de si na semana passada, quando munidos da fita métrica metalizada de estimação da minha Madrinha - que fez questão de referir que anda sempre com ela na mala, "não vá ser preciso medir qualquer coisinha" (!?) - nos lançámos na tarefa árdua de medir móveis e paredes, fazendo contas à vida e ao espaço.
Pois que a puta da fita métrica resolveu enfiar-se entre o roupeiro e a calha da parede, recusando-se a sair. Ora o roupeiro, se fosse um móvel normal, chegava-se um bocadinho para o lado, dando espaço para a fita sair sem qualquer dano.
Mas não!
Isto porque a minha querida mãezinha, aliando a sua ciência em decoração, bricolage e afins à sua experiência madura de vida-em-casas-pequenas-e-com-pouca-arrumação, vai de comprar para a sua filha querida - leia-se eu! - um daqueles horrendos conjuntos de móveis cama-armário-secretária-roupeiro todos pregados uns aos outros - que eu já me encarreguei de fazer desaparecer.
Logo, mover o armário implicava mover toda uma estrutura que de tão pesada, dá vontade de desatar aos pontapés como se não houvesse amanhã. E foi o que aconteceu!
No entanto, nem os pontapés, nem as blasfémias demoveram a fita métrica da minha Madrinha, que, amorosa, ía ficando cada vez mais torta.
Resignados às evidências, não podendo simplesmente deixar a estúpida da fita métrica de estimação enfiada na parede, lá começámos a desaparafusar parte do móvel gigante, retirámos o dito roupeiro e lá estava ela, a dita cuja da fita métrica, toda arrepanhada, tortinha que só ela, a sorrir para nós.
Digamos que isto assim contado tem muito mais graça do que o que aconteceu na realidade. Para primeiro impacto a dois numa primeira casa também a dois, não foi propriamente como nos anúncios do BES - embora não tenha pais ricos nem ganho a lotaria.
Próximo passo: como colocar uma cama gigante num quarto minúsculo sem revelar instintos homicidas?

8 comentários:

Rosa disse...

Humm... Se a cama é gigante e o quarto é minúsculo, ou a pões na sala ou compras outra mais à medida! :) Não há milagres...

a lice disse...

Pois, talvez só outra cama mesmo...:)

Tenta manter a calma!:)

Beijinhos.

Fee disse...

Se a cama não encolhe e o quarto não estica, ou compras uma casa com um quarto maior (ou menos drástica, pões a cama na sala, como diz a Rosa) ou trocas essa por outrs mais pequena! De outra maneira vais ter um quarto só de dormir, porque não vai caber mais nada dentro!!

Peg solo disse...

com jeitinho dá! ate pq reduzir o tamanho da cama nao me parece uma boa soluçao ;)

Mia disse...

Rosa,
Não há mesmo milagres? Nem no IKEA??? Tenho que dar uma espreitadela no catálogo novo! :p

a lice,
Pois, é o mais provável! Mas o dinheiro já é curto! Qaunto á calma, ui....!!!

Fee,
Isso da casa maior é que era! Mas o meu aniversário já era e para o Natal ainda faltam uns meses!

Peg Solo,
Sim, com jeitinho e com calma tudo se consegue!

Li disse...

A minha amiga teve o mesmo problema...solução? Cama redonda do IKEA! E não é que realmente funciona em pequenos quartos?

Lipa disse...

Pois eu assino por baixo em tudo de bom que se fala do IKEA, sou completamente viciada...
Vai lá e vais ver que arranjas solução... Pois porque casa já tens, olha que já é mesmo muito bom...

Um beijinho

izzolda disse...

As minhas pulseiras também insistem em cair para trás da minha cómoda cheia de roupa glamourosa e linda que só ela (ou tralha que nunca mais acaba, dependendo das perspectivas). Cof.

Quanto à cama, o ikea vai ter solução, Mia, força nisso que camas de tamanho inferior a king size já eram, hihihi :)