quarta-feira, junho 21, 2006

Recomeçar
Cheirei-te antes de te ver. Cheirei-me em ti, antes mesmo de olhar para as paredes. Cheirei o meu irmão, os meus pais, cheirei os lapis de cor e a plasticina, os nove natais e os dez aniversários, cheirei as pinturas da minha mãe, o perfume do meu pai, o Sarafim, o Betô e os Playmobile, cheirei a almofada do meu irmão, a operação, as gargalhadas, gritos, discussões, cheirei o medo do escuro e o xixi na cama, cheirei as palmadas e as explicações de matemática, as cópias e as nódoas negras nos joelhos, cheirei a comida, a Minha Agenda, os pesadelos, o rádio amarelo com cassetes, a doença da minha mãe, a lata do açúcar na última prateleira da cozinha, a cassete do Excalibur, as marcas da minha altura que o meu pai fazia na parede da sala, a alcatifa, o papel de parede, cheirei os domingos de Fórmula 1, o Verão sem ir à Costa da Caparica, o gira-discos, as manhãs de Inverno na cama dos meus pais, a cabeça partida do meu irmão, as lutas e o sofá riscado.
Só depois olhei. E vi como estavas diferente. Como é possível teres sido pintada, terem-te arrancado a alcatifa, mudado a cozinha, os móveis, e mesmo assim, misturado com o cheiro de cimento, tinta, verniz e de pessoas que não conheço, continuares a cheirar ao meu passado. Cheiras a mim, quando eu própria já não me lembrava que tinha cheiro.
Voltei. A que cheiro eu agora?

5 comentários:

SUSHISTICK disse...

Belo texto, caraças! É o aroma da nostalgia.... ;P

Anónimo disse...

Welcome home!

LM

trapezista disse...

...essa é fácil... :)

...cheiras a ti! :)

Marco disse...

belo texto. eu também cheirei muitas das coisas que aqui estão. gosto especialmente dos playmobil, nunca me fartei de brincar com eles. repito-me: belo texto. ah, já agora, o do häagen-dazs, está muito engraçado! eheheheh. (já cá tenho vindo sem comentar. tenho gostado)

Fee disse...

Parabéns pela escrita. É bem verdade que as casas marcam toda a nossa vida e nos fazem gostar mais ou menos dos momentos importantes que vivemos nelas! Mas é tão bom regressar a uma casa adorada, mesmo que diferente!